sábado, 29 de janeiro de 2011

Núcleo Museológico de CP - Opinião publicada

A perda do núcleo museológico da CP é algo que lamento profundamente mas que não me surpreende. O que me surpreendeu foi a polémica em torno da discussão deste assunto só agora ter surgido. De facto, esta perda já era expectável desde que o anterior executivo classificou a linha do caminho-de-ferro como “um garrote ao desenvolvimento da malha urbana” e, por conseguinte, como uma barreira física a eliminar. Quando soube de tal intenção pronunciei-me publicamente contra tal perspectiva no jornal Ecos, em Agosto de 2007, onde comparei a remoção da linha férrea à destruição da secção nordeste da muralha setecentista, justa e ironicamente, por esta, à época, também ter sido considerada um espartilho ao desenvolvimento urbano que impedia o acesso às ferrovias.

No ano passado, na reunião do dia 11 de Agosto, voltei a pronunciar-me contra a eliminação física da linha férrea, em protesto que consta da acta da sessão, defendendo que a regeneração urbana daquela zona da cidade era compatível com a manutenção de alguns carris para potenciar o seu aproveitamento turístico. Finalmente, na última reunião de câmara voltei a ser eu, uma vez mais, a pronunciar-me no mesmo sentido e foi na sequência dessa minha intervenção que a dita polémica se despoletou.

Ora, não podem agora os eleitos do PS dar ares de dama ofendida com este desfecho quando, na verdade, são os principais responsáveis pela situação que lhe deu origem. De facto, se há coisa que caracteriza o actual executivo é não apresentar ideias próprias, limitando-se a pôr no terreno, de forma acrítica, alguns projectos definidos no anterior mandato.

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Entrevista ao ECOS (14Jan2011)

Para ler ou transferir os ficheiros da entrevista, clique na hiperligação:

domingo, 16 de janeiro de 2011

Guerre en Guinée - Documento histórico (hard stuff)


Este post surgiu na sequência de uma mensagem de e-mail que recebi com um link para o vídeo que aqui apresento.

Quero alertar que as imagens são duras. Apresentam um cenário de guerra no qual onde dois jovens militares morreram. Portanto, quem for mais sensível não deverá correr este vídeo.


A operação a que estas imagens se referem foi denominada "Ostra Amarga", embora entre os militares que nela participaram ficasse mais conhecida como operação "Paris Match". Ocorreu em 18 de Outubro de 1969.

Informações mais detalhadas sobre esta operação poderão ser encontradas no blogue "Luís Graça e Camaradas da Guiné", onde a história é contada por aqueles que viveram a guerra ao vivo e a cores.

Duas notas finais para os estremocenses:

  • a comandar a companhia emboscada pelas milícias do PAIGC estava o (então) capitão José Mendes Sentieiro, o qual veio a ser Comandante do Regimento de Cavalaria de Estremoz, entre 1991 e 1992;
  • o estremocense António de Spínola, à época Governador Militar da Guiné, confirma neste vídeo a fama que já vinha dos tempos em que havia comandado o Batalhão de Cavalaria n.º 345 (saído do RC3 de Estremoz) de não se furtar a estar presente nos cenários de guerra, em especial quando os seus subordinados eram vítimas de ataques.

sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

Eu também estive entre aqueles que não acreditavam...

...mas hoje curvo-me perante a obra que este homem fez pelo seu país.


Receba os nossos artigos por e-mail

Related Posts with Thumbnails

Número total de visualizações de página

CQ Counter, eXTReMe Tracking and SiteMeter

eXTReMe Tracker
Site Meter