quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Interpretações

Já não me recordo onde li que um bom advogado é aquele que consegue demonstrar que a lei diz exactamente o oposto do que lá está escrito. Que me perdoem os advogados mas tais "méritos" têm que ser partilhados com mais pessoas. O que não faltam por aí são crânios que se permitem interpretar da forma mais conveniente o teor de um texto escrito. A recente polémica em torno das declarações de José Saramago é disso a prova evidente.

Reconheço que (1) os textos nem sempre são claros; (2) um texto (ou uma frase) desinserido do respectivo contexto pode conduzir a uma interpretação distorcida; (3) ser necessária uma interpretação sistemática quando partes da prosa estão em contradição com a filosofia subjacente ao todo… mas, tenham dó, há limites para tudo.

Quando um texto diz que David cobiçou Bateseba, mulher de Urias, que copulou com ela e que de tal acto veio a nascer um filho, não pode dizer que "não foi bem assim", que não houve adultério. Do mesmo modo, quando David urdiu uma forma de matar Urias, não pode dizer-se que não tenha havido assassínio, ainda que este não tenha sido o autor material do crime. Todavia, quando se diz que Amnom, filho de David e irmão de Absalão, copulou com a irmã de Absalão, Tamar, virgem até aquele momento, já não se pode dizer com precisão que tenha havido incesto, dado que Tamar, apesar de irmã de Absalão e este irmão de Amnom, podia não ser irmã de Amnom. Agora que aquela família era uma grande rebaldaria, com práticas poligâmicas com fartura, isso, com base no texto escrito, já ninguém o pode negar. Assim como quando Absalão decidiu limpar o sebo ao irmão Amnom, ninguém pode dizer que não houve fratricídio, da mesma forma que voltou a haver assassinatos entre irmãos quando Salomão mandou matar Adonias, irmão "completo" de Absalão e a 50% do próprio Salomão.

Ora bem, todo o parágrafo precedente se refere a textos bíblicos, mas precisamente ao Antigo Testamento. Isto faz da Bíblia, no dizer de Saramago, um "manual de maus costumes"? Embora as práticas ali enumeradas não sejam, de todo, as mais recomendáveis, a verdade é que em lado nenhum se pode inferir que a doutrina bíblica aprovasse tais procedimentos. Na verdade, segundo a Bíblia, o povo de Israel sofreu castigos por causa destes e de outros comportamentos igualmente bizarros. Agora, é também preciso ter presente que Saramago também não disse apenas aquela frase que provocou toda esta celeuma. Disse também que a Bíblia "tem coisas admiráveis" e que "muita coisa vale a pena ler". Se Saramago é acusado de descontextualizar os textos bíblicos sugerindo interpretações erróneas, então é igualmente verdade que aqueles que o acusam também descontextualizaram as declarações de Saramago, omitindo as passagens em que este fez menções elogiosas ao texto sagrado.

Valia a pena toda esta confusão por causa de alguém cujas afirmações se enquadram numa estratégia de promover a sua mais recente obra literária, Caim? Eu acho que não.

Publicado na edição do Brados do Alentejo de 29 de Outubro de 2009

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

PSD Estremoz: Ser militante...

3.º Post de Nuno Rato.

PSD Estremoz: Ser militante...

PSD Estremoz: Porque é (sempre) bom recordar! - Parte II

Segundo post de Nuno Rato

PSD Estremoz: Porque é (sempre) bom recordar! - Parte II

PSD Estremoz: Porque é (sempre) bom recordar! - Parte I

Insiro aqui hoje as ligações de três excelentes posts do Presidente do PSD - Estremoz, Nuno Rato.

PSD Estremoz: Porque é (sempre) bom recordar! - Parte I

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Estrutura familiar e dinâmica social

Com a devida vénia para o autor, aproveito este espaço como referência bibliográfica para os meus alunos.

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Usar a voz como instrumento

Já cá tivemos vários grupos deste género (estou a recordar-me, por exemplo, dos Tecto Vocal), mas rendo-me sempre a este género de comunicação musical.


SAMOS CIDADÕES

Descobri uma coisa fantástica e que agora partilho convosco: se escrevermos em MAIÚSCULAS o corrector ortográfico não assinala os erros. No discurso escrito as maiúsculas são equivalentes à forma enfática na linguagem falada. E como se dá ênfase ao discurso oral? FALANDO ALTO ou S-O-L-E-T-R-A-N-D-O o discurso. Nestas condições as pessoas que ouvem fixam-se mais na forma que no conteúdo da mensagem; dão mais atenção ao mensageiro que fala convictamente – mesmo que esteja a dizer patacoadas – que a qualquer outro orador.


Descobri também que o discurso escrito é pouco (ou nada mesmo) eficaz. Dou um exemplo: nesta última campanha eleitoral o texto do panfleto dirigido aos eleitores de Evoramonte saiu com o conteúdo que era destinado aos eleitores de Santa Vitória do Ameixial. Só soube de uma pessoa que tivesse dado por isso. Esclarecedor, não acham?


Feita a introdução vamos ao que interessa. Apesar de me ter recusado a usar esta coluna para falar da política local desde que anunciei a minha candidatura à Câmara Municipal, hoje vou abrir uma excepção, sob pena de as pessoas pensarem que estou a fugir ao assunto. Portanto, vamos a isto sem rodeios: perdi claramente estas eleições. Ser eleito vereador não mitiga o desaire eleitoral já que o objectivo era, no mínimo, fazer eleger dois representantes da lista em que estava integrado.


As dinâmicas de voto útil lesaram duplamente as candidaturas do PSD, da CDU, do CDS e do BE. Houve voto útil no MiETZ para destronar o executivo socialista; assim como houve voto útil no PS para procurar impedir o retrocesso da eleição de Luís Mourinha. Em termos práticos, o eleitorado bipolarizou-se. Nada, afinal, que eu não tivesse antevisto na minha intervenção final do último debate entre candidatos. O que nunca pensei é que tivesse esta expressão. Os votos CONTRA E PELAS MÁS RAZÕES ganharam estas eleições em Estremoz.


Enfim, apesar de todas as vicissitudes acabei eleito. Irei assumir a responsabilidade de representar aqueles que votaram a FAVOR de alguma coisa e ainda os demais que não se sentem representados neste executivo. Vou ficar entaipado entre os principais obreiros do atraso de Estremoz. Não estou a dizer que a Câmara Municipal deva ser vista como um local mal frequentado, até porque tem eleitos que me merecem respeito. Porém, devo confessar que há lá pessoas que não constituem a melhor companhia quando se pretende desenvolver um trabalho sério e responsável. Ossos do ofício.


Costuma dizer-se – e eu digo-o com muita frequência – que em democracia todos têm o que merecem. Tive, portanto, o que mereci. Porém esta máxima, para o bem e para o mal, aplica-se igualmente aos eleitores: cada terra tem também os políticos que merece. Quem ganhou tem agora um autocarro de promessas para cumprir e duvido muito que seja capaz de o fazer. Será isso uma DESGRÁCIA? Pouco importa, os queixumes a posteriori são como sopas depois de almoço. AGUENTEM-SE À BRONCA!


Publicado na edição do Brados do Alentejo de 15 de Outubro de 2009

sábado, 10 de outubro de 2009

Para descontrarir em dia de reflexão e de jogo da selecção

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

Autárquicas (XXIII) - Agora nós!

O meu nome é António Ramalho e sou o primeiro candidato à Câmara Municipal pelo Partido Social Democrata. Nasci, cresci, estudei e trabalho em Estremoz. Conheço praticamente todos os recantos do nosso concelho. Na minha infância dizia-se que Estremoz era “a menina bonita do Alentejo”, mensagem que apenas reforçava o meu orgulho de ser estremocense.
Ler mais aqui.

Autárquicas (XXII) - Nós acreditamos em Estremoz!


Por Rui Ribeiro:

Personificando as eleições autárquicas na Câmara, espero e acredito que quem tenha mais votos seja o PSD, através do candidato que apoia o António José Ramalho. Para isso considero que há 7 pecados originais e 7 razões para acreditar para que assim seja.

Ler mais aqui.

Debate final - Lá volto eu a "rapinar" fotos de outros

Já vai sendo uma tentação. Voltei a rapinar fotos do blogue do José Gonçalez. Pareceu-me no entanto que o fazia por uma boa causa.
A primeira foto dá-nos conta do jantarão com que nos enfartaram (se calhar para ficarmos mais pesadões e, naturalmente, menos agressivos).


A segunda foto reproduz o momento da "digestão".



Na terceira foto surjo eu a olhar para coisa nenhuma. (Não faço a mais pequena ideia do que estava a pensar naquele momento.)

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Autárquicas (XXI) - Mensagem de apoio de Nuno Gato


“Nada é mais difícil, e por isso mesmo mais precioso, do que poder decidir.”
Esta frase, atribuída a Napoleão, é uma das grandes expressões de reflexão para todos os que têm de decidir. E nós temos!
Decidir é escolher, de entre as várias opções que temos, qual a que se apresenta com melhores soluções para os nossos problemas ou desafios. Em política é isto que acontece? Eu recordo o que aconteceu, por exemplo, em 2005: o PS ganhou porque “as pessoas estavam fartas da CDU”. E resultados?


Ler mais aqui:

Debate Final



Hoje, ao vivo e a cores, no campo de feiras, debate final entre os candidatos a Presidente da Câmara Municipal de Estremoz. Quem não puder ir poderá ouvir em 94.5.

terça-feira, 6 de outubro de 2009

Inserção de comentários

Não sei o que se passa com o blogger mas tenho recebido mensagens de pessoas que pretendem comentar alguns dos meus artigos e não conseguem. Entretanto, eu tenho conseguido e tenho recebidos outros de outras pessoas. O problema apontado por aqueles que se queixam é que não conseguem ver com clareza os caracteres de validação.
Enfim, não sei explicar. Uma vez que eu consigo inserir comentários, vou reproduzir no post "Eleitorado flutuante" um comentário recebido do autor do blogue AJPM (de volta).
Embora alheio à minha vontade, penitencio-me pelas falhas técnicas que, episodicamente, este blogue revela.

Receba os nossos artigos por e-mail

Related Posts with Thumbnails

Número total de visualizações de página

CQ Counter, eXTReMe Tracking and SiteMeter

eXTReMe Tracker
Site Meter